BA: DT-e tornará 100% online comunicação entre a Sefaz e o contribuinte

Canal direto com o contribuinte, DT-e substituirá a comunicação tradicional, baseada em papel, por modelo totalmente online e simplificado. Adesão será gradual, começando de forma voluntária e respeitando depois cronograma de obrigatoriedade a ser publicado pela Sefaz.

Simplificação, agilidade, eficácia e baixo custo são as vantagens do Domicilio Tributário Eletrônico (DT-e), um canal de comunicação 100% online entre a Secretaria da Fazenda da Bahia (Sefaz-Ba) e os contribuintes, em fase de preparativos finais para lançamento em maio. A ferramenta está sendo implementada pela Sefaz-Ba para modernizar o Fisco baiano, facilitando a vida das empresas e estimulando a arrecadação de tributos.

A comunicação terá validade jurídica para todos os fins, preservando a segurança e o sigilo fiscal da informação. O DT-e vai disponibilizar informações de interesse dos contribuintes, tais como eventuais pendências fiscais, processos em andamento, extrato de débitos, cadastro completo e documentos de arrecadação pagos. O modelo já é adotado pela Receita Federal do Brasil.

O sistema substituirá gradualmente a comunicação tradicional com o contribuinte, feita via Correios, publicações no Diário Oficial do Estado ou mesmo contatos presenciais. O DT-e permitirá o envio, para uma caixa postal eletrônica, de avisos, comunicados, cientificações e intimações ao contribuinte. A Sefaz terá controle do acesso às mensagens (data de envio e da leitura) e poderá enviar alertas por e-mail ou SMS para o contribuinte quando foram enviadas novas mensagens.

Adesão inicialmente voluntária

Inicialmente, todos os contribuintes do ICMS poderão utilizar o sistema de forma voluntária, com exceção dos produtores rurais. Em seguida, entrará em vigor um cronograma de obrigatoriedade de adesão das empresas baianas ao sistema.

O DT-e é parte de uma série de políticas que estão sendo lançadas pelo governo para, de um lado, estimular os contribuintes dispostos a ficar em dia com o fisco e, do outro, combater a sonegação. “Estamos investindo fortemente no uso intensivo da tecnologia para simplificar a vida das empresas, melhorar a prestação de serviços e tornar a fiscalização mais efetiva”, afirma o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório. Ele lembra que, com o Domicílio Tributário Eletrônico, “o contribuinte terá a seu dispor uma ferramenta que colocará a Sefaz ao seu lado”.

De acordo com o superintendente de Arrecadação Tributária da Sefaz-Ba, José Luiz Souza, “o Domicílio Tributário Eletrônico deverá potencializar os resultados esperados com projetos como o da Malha Fiscal Censitária, que faz cruzamentos de dados da Nota Fiscal Eletrônica, da Escrituração Fiscal Digital, da arrecadação e do faturamento das empresas para ampliar o alcance da fiscalização”.

O que muda com o DT-e

O Domicílio Tributário Eletrônico (DT-e) vai trazer mudanças palpáveis na relação entre fisco e contribuinte, com vantagens importantes sobre o modelo convencional de comunicação. Confira, abaixo, as principais características dos modelos.

Comunicação tradicional – Nos moldes tradicionais, a comunicação entre fisco e contribuinte é feita por meio de mala direta via Correios, que depende dos dados atualizados sobre os endereços das empresas, de publicações no Diário Oficial, o que encarece o processo, e eventualmente de contatos presenciais.

Domicílio Tributário Eletrônico – Com o DT-e, as comunicações são simplificadas e passam a ser mais efetivas, ágeis e seguras, mantendo a validade jurídica para todos os fins. A ferramenta será também o principal canal de comunicação dos resultados apurados pela Malha Fiscal Censitária junto aos contribuintes a ela relacionados. A Sefaz poderá controlar a efetividade de cada comunicação, pois o DT-e informará se cada contribuinte leu, ou não, a comunicação a ele enviada.

Fonte: Sefaz BA

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH