Menu

A Secretaria da Receita Federal divulgou o balanço dos autos de infração lançados em 2017. O valor bateu recorde: quase R$ 205 bilhões, 68,5% a mais do que o ano anterior, de R$ 121,6 bilhões.

Deste valor, mais de R$ 193 bilhões foram autuações destinadas a empresas, enquanto que o valor sobre pessoas físicas registrou mais de R$ 11 bilhões, com mais de 372 mil contribuintes autuados. Entre as empresas, os setores de indústria, prestação de serviços e comércio somaram os valores mais altos em autos de infração.

As autuações são resultados da fiscalização da Receita Federal contra sonegação, evasão e falta de recolhimento de tributos. O último recorde havia sido registrado em 2013, quando o órgão recolheu R$ 190 bilhões em autuações. De acordo com a Receita, o alto valor no ano de 2017 se deve ao trabalho dos auditores fiscais.

Outro fator que justifica este aumento nas autuações é a tecnologia de ponta utilizada pelo Fisco, que permite realizar uma seleção de contribuintes a serem fiscalizados de modo totalmente eficaz. Além disso, a Receita conta com ferramentas eletrônicas para detecção de erros e de indícios de sonegação.

A estimativa para 2018 é que seja recolhido, em autos de infração, cerca de R$ 149 bilhões. Ainda de acordo com a Receita, os setores que mais estão sendo fiscalizados são os de cigarros, bebidas e combustíveis.

Veja mais em:

 

governo ICMS parcelamento tributos Reforma Tributária fraude ECF imposto de renda RFB contabilidade SEFAZ eSocial tributo prazo PIS Sped Receita Federal fisco nota fiscal sonegação EFD MEI receita COFINS STF obrigatoriedade simples nacional contador fiscalização imposto