topo_artigo_Ministerio-da-Economia

Ministro da Economia destaca importantes avanços nos acordos de cooperação internacional

O ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou nesta sexta-feira (8/10), a convergência das negociações para o estabelecimento de dois importantes acordos de cooperação na área internacional: consenso com a Argentina, para em conjunto com os demais sócios do Mercosul, reduzir em 10% a Tarifa Externa Comum (TEC), e a participação do Brasil no acordo global de tributação firmado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

topo_artigo_Pandemia

Setores da economia pressionam funcionários a tomarem a vacina

As empresas têm estimulado trabalhadores a tomar a vacina contra a Covid-19 para o retorno seguro das atividades e da economia. Mas alguns setores já começaram a se posicionar pela imunização compulsória. A Prefeitura de São Paulo anunciou neste sábado (7) que tornou obrigatória a vacinação para servidores e funcionários da administração direta, indireta,

Topo de artigo_tributos

Secretário de Guedes diz que problema no Brasil é ‘tributação excessiva sobre quem produz’

O secretário especial de produtividade e competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Da Costa, usou as redes sociais para manifestar contrariedade com o debate em torno do projeto de reforma do Imposto de Renda. “O problema tributário no Brasil não é sobre ricos versus pobres, e sim sobre tributação excessiva sobre quem produz vs burocracia proibitiva que leva muitos brasileiros à informalidade”,

topo_artigo_Reforma-Tributaria

Guedes fala em reduzir 5% no IRPJ na reforma tributária em vez de 2,5%

O ministro da Economia, Paulo Guedes, propõe agora redução de 5 pontos percentuais no Imposto de Renda para empresas já em 2022, em vez dos 2,5 pontos definidos na reforma tributária enviada semana passada.

Atualmente, a alíquota é de 15%. O texto inicial da reforma do imposto de renda propõe passar para 12,5% em 2022 e para 10% a partir de 2023.

topo_artigo_Ministerio-da-Economia

Brasil será maior fronteira de investimentos do mundo, prevê ministro da Economia

O Brasil vai se transformar na maior fronteira de investimentos internacionais do mundo, segundo avaliação feita nesta segunda-feira (31/5) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, durante a quarta edição do Fórum de Investimentos Brasil (BIF – Brasil Investment Forum, em inglês), o maior evento para atração de investimentos estrangeiros da América Latina. Segundo o ministro,

Ministerio_da_economia

Copom eleva juros básicos da economia para 3,5% ao ano

Em meio ao aumento da inflação de alimentos, combustíveis e energia, o Banco Central (BC) subiu os juros básicos da economia em 0,75 ponto percentual pela segunda vez consecutiva. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa Selic de 2,75% para 3,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Em comunicado,

WhatsApp Image 2020-07-02 at 09.59.00

Excluir o ICMS da base do PIS/Cofins não detona economia

Às vésperas de o STF decidir sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins nos idos de 2017, a burocracia fazendária afirmara com alarde que uma eventual decisão favorável aos contribuintes geraria um passivo da ordem de R$ 250 bilhões nas contas públicas, algo assustador que comprometeria o programa de ajuste fiscal em curso à época,

Ministerio_da_economia

Vacinação e reformas estruturais levarão o Brasil ao caminho da prosperidade, diz ministro da Economia

Vacinação em massa contra a covid-19, para permitir o retorno seguro dos brasileiros ao trabalho, e o avanço do programa de reformas estruturais do governo são a fórmula para garantir que o Brasil retome rapidamente o “caminho da prosperidade”, apontou nesta segunda-feira (05/04), o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao participar de videoconferência promovida pela empresa XP Investimentos.

Topo de artigos_camara dos deputados

Líder do governo diz que autonomia do BC fortalece a economia brasileira

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), disse nesta quinta-feira (11) que a autonomia do Banco Central vai gerar novas oportunidades de desenvolvimento e emprego no Brasil. Para o deputado, isso ocorrerá porque haverá mais investimentos no País e o custo de rolagem da dívida será reduzido.

O Projeto de Lei Complementar 19/19,

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH