capa-02

eSocial: e-Auditoria disponibilizará ambiente de teste para seus clientes

Conforme todos acompanharam, o eSocial disponibilizou, a partir do dia 1º de agosto de 2017, o acesso ao ambiente de testes da plataforma para todas as empresas do país. A intenção é preparar o setor produtivo para o início da utilização obrigatória do sistema, que começa em 1° de janeiro de 2018 para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais. A partir de 1° de julho de 2018, o eSocial torna-se obrigatório para todos os demais empregadores do país.

É bom ressaltar que este período de testes é uma fase importantíssima: de um lado, as empresas poderão se adaptar ao eSocial, aprimorar seus cadastros e validar seus sistemas e, de outro, o governo federal poderá aperfeiçoar a plataforma.

Entretanto, é preciso ficar atento: o governo divulga que o eSocial será altamente benéfico às empresas, na medida em simplificará a prestação das informações referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, reduzindo a burocracia atual. Mas, na prática, o eSocial trará mais riscos de autuações, pois a plataforma facilitará o processo de fiscalização por meio do cruzamento e da verificação de dados por parte do governo federal. Sem contar que a adaptação das empresas ao eSocial tem sido altamente dispendiosa e complexa.

Pensando em minimizar o risco de seus clientes e tornar o processo de conferência mais rápido e eficaz, a e-Auditoria prepara-se para lançar o módulo de auditoria eletrônica do eSocial, através do qual as empresas poderão verificar inconsistências e situações de risco nas esferas fiscal, trabalhista e previdenciária. De acordo com a especialista em Direito do Trabalho da e-Auditoria, Nathalia Mendonça, “o e-Auditor analisará os arquivos XML de nossos clientes antes da transmissão ao ambiente de produção restrita para detectar inconsistências de preenchimento dos campos. Com isso as empresas ganharão tempo, já que o eSocial não possui o PVA para detectar essas incoerências”. Nathalia afirma que o novo sistema não irá se limitar a isso: “faremos também os cruzamentos entre os campos de diferentes eventos do próprio eSocial para análise e apontamento de contradições que podem impedir a transmissão do arquivo; as auditorias serão realizadas de acordo com a CLT após a Reforma Trabalhista, com a possibilidade de, caso seja do interesse do cliente, auditar os arquivos do eSocial conforme CCT e ACT de categorias diferenciadas. Tudo isso com o objetivo de minimizar os riscos de transmitir informações erradas que podem gerar passivos trabalhistas e multas por parte do Ministério do Trabalho.”

Leandro Mattos, Diretor de Tecnologia e Produtos da e-Auditoria, estima que “dentro de pouco tempo nossos clientes poderão carregar no e-Auditor seus arquivos XML e aproveitar para corrigir imperfeições no próprio ambiente de testes do eSocial. Isso é de extrema importância para que comecem a transmitir suas informações com segurança a partir do ano que vem. Além disso, a e-Auditoria disponibilizará suporte técnico de especialistas em SPED e em Direito do Trabalho para dirimir as dúvidas existentes. Com todo esse aparato, o cliente ficará resguardado que as informações transmitidas estarão em conformidade com a legislação e no formato definido pelo Governo.”

Atualmente, e-Auditor é o sistema de auditoria eletrônica que analisa o maior número de obrigações contábeis e fiscais e, consequentemente, possui o maior número de cruzamentos entre declarações acessórias. Mais de 140 mil empresas auditam seus arquivos mensalmente no e-Auditor, garantindo mais agilidade, mais segurança e mais eficiência, na medida em que os diagnósticos de auditoria orientam melhorias de processos. Para saber mais sobre o e-Auditor basta acessar o endereço eletrônico: www.e-auditor.com.br.

Saiba mais sobre o eSocial:

O eSocial é um projeto conjunto do governo federal que integra Ministério do Trabalho, Caixa Econômica, Secretaria de Previdência, INSS e Receita Federal. Por meio deste sistema, mais de 8 milhões de empresas passarão a comunicar ao Governo, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS. A prestação das informações ao eSocial substituirá 15 prestações de informações ao governo – como GFIP, RAIS, CAGED e DIRF – por apenas uma.

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH