Capa-Dicas-contabilidade

Contabilidade Ambiental: um novo olhar sobre a contabilidade convencional

À medida em que a sociedade vem se conscientizando sobre a crescente escassez dos recursos naturais e dos recorrentes impactos provocados ao meio ambiente, a Contabilidade ambiental surge como um novo segmento da contabilidade convencional para auxiliar as organizações no trabalho de combate à degradação da natureza.

Em linhas gerais, a Contabilidade pode ser definida como a área da ciência responsável por registrar as informações, os fatos e os atos de natureza econômico-financeira de uma empresa, especialmente sobre o seu patrimônio. Neste contexto, qual seria sua relação com a esfera ambiental?

Como ciência, por sua particularidade em realizar registros e controles de dados econômicos e financeiros, a Contabilidade, se aplicada aos resultados das ações das empresas relacionadas à exploração do meio ambiente, contribui de forma significativa na proteção e preservação da natureza. É aí que nasce a Contabilidade Ambiental.

A Contabilidade Ambiental poder ser definida como um ramo especializado da contabilidade tradicional, responsável por mensurar os registros do patrimônio ambiental das organizações (bens, direitos e obrigações ambientais e suas consequências).

Danos ambientais e a contabilidade

O aumento dos danos ambientais promovido pela crescente atividade econômica faz despertar os olhares da sociedade para um cenário preocupante – o da degradação não natural do meio ambiente. Com isso, as Organizações se veem na necessidade de contabilizar e analisar, por meio dos seus recursos, sua influência na preservação ambiental. Independentemente do ramo de atuação, toda empresa gera algum dano socioambiental, obviamente que em graus diferenciados, vai depender do ramo de atuação e da política de responsabilidade social adotada por cada uma.

A Contabilidade Ambiental tem o objetivo de verificar os possíveis impactos ambientais provocados pelas empresas e, consequentemente, auxiliar na tomada de decisões para a redução desses prejuízos “naturais”. Cabe a ela registrar e controlar os dados correspondentes às ações que podem ou não afetar o meio ambiente e, posteriormente, apontar os benefícios e eventuais perdas financeiras decorrentes das suas práticas.

Como atuar com a contabilidade ambiental na sua empresa?

Em tese, se você deseja elevar o grau de responsabilidade socioambiental da usa empresa, é indispensável a adequação de suas práticas sustentáveis aos seus balanços contábeis, levando em consideração suas contas patrimoniais. 

Contas Patrimoniais

As contas patrimoniais são a representação dos bens e direitos (ativos), obrigações (passivos) e o patrimônio líquido de uma empresa. Para mensurar as ações contra a destruição do meio ambiente, utiliza-se as demonstrações contábeis da organização, calculando os ativos e passivos.

Nesta modalidade contábil, para o levantamento de dados e posterior propostas de ações de conservação e reparo ambientais, são considerados para análise das contas patrimoniais o ativo ambiental e o passivo ambiental.

O Ativo Ambiental

Considera-se Ativo Ambiental todos os bens e direitos relacionados à gestão de recursos voltados à eliminação e redução dos impactos ambientais, como o capital de giro ou capital fixo para a preservação ambiental. Esse recurso poderá ser aplicado em um planejamento econômico da empresa. É no ativo que são registrados todos os itens de manutenção das atividades exercidas pela organização. Cabe aqui uma análise de como utilizar os bens e serviços para controlar e reduzir os impactos ao meio ambiente.

O passivo Ambiental

No passivo são registradas todas as obrigações da empresa e são contabilizados os custos com a utilização de produtos e/ou serviços que de certa forma contribuíram na geração de algum impacto ao meio ambiente. Tudo o que a empresa praticou que de algum modo provocou prejuízo ambiental deverá ser registrado no passivo.

Uma organização preocupada com questões ambientais deve verificar, no Passivo, o que é possível fazer para compensar os prejuízos causados por suas atividades.

Diminuindo os impactos

Diante desse cenário, é possível contribuir positivamente na recuperação da degradação ambiental, verificando no balanço patrimonial da empresa os pontos que geram ou que são passíveis de gerar impactos ao meio ambiente.

A Contabilidade Ambiental é de extrema relevância para reforçar a responsabilidade da organização nas questões socioambientais.  Todas as ações tomadas, seja na compra de produtos ou no levantamento do valor gasto em um investimento para prevenção de danos, têm interferência direta no patrimônio. A área fornece informações imprescindíveis sobre as modificações no patrimônio da organização ocasionadas por gastos ambientais. Os dados econômicos e financeiros aferidos servem de insumo para o controle, proteção e preservação ambiental.

Planejamento Financeiro

O planejamento financeiro feito pela Contabilidade Ambiental leva em conta as informações econômicas e financeiras das ações de gestão ambiental, favorecendo não só o meio ambiente como a imagem da empresa em relação a sua responsabilidade social.

A correção das ações ambientais por meio dos dados contábeis contribui para a transparência da gestão e demonstra o compromisso com a responsabilidade coletiva, além de fortalecer a conscientização sobre esse tema com a sociedade, o mercado e os clientes/consumidores.

As avaliações de impacto ambiental e, consequentemente, os mecanismos de atuação para conservação e preservação do meio ambiente, dependem de registros e informações patrimoniais equilibradas.

Além disso, a T15, uma das NBCs (Normas Brasileiras de Contabilidade), que trata especificamente sobre questões de natureza social e ambiental, enumera as informações relativas à interação da entidade com o meio ambiente, devendo ser evidenciados:

a) investimentos e gastos com manutenção nos processos operacionais para a melhoria do meio ambiente;

b) investimentos e gastos com a preservação e/ou recuperação de ambientes degradados;

c) investimentos e gastos com a educação ambiental para empregados, terceirizados, autônomos e administradores da entidade;

d) investimentos e gastos com educação ambiental para a comunidade;

e) investimentos e gastos com outros projetos ambientais;

f) quantidade de processos ambientais, administrativos e judiciais movidos contra a entidade;

g) valor das multas e das indenizações relativas à matéria ambiental, determinadas administrativa e/ou judicialmente;

h) passivos e contingências ambientais.

Na maioria das vezes, quando sua empresa não conta com um contador especialista, a análise desses dados é feita por um consultor.

O trabalho da área de contabilidade convencional, neste sentido, é dar apoio e suporte por meio de informações adequadas à consultoria, pois o sucesso dos resultados da gestão da Contabilidade Ambiental está diretamente ligado à saúde financeira da empresa.

Cabe ressaltar, conforme estabelece a T15, que a responsabilidade por informações não-contábeis pode ser compartilhada com especialistas.

Tecnologia a serviço da Contabilidade Ambiental

Nesta hora, para transmitir ao Consultor Ambiental informações coesas com precisão e agilidade, é recomendado a utilização de ferramentas digitais que garantam o controle e assertividade dos seus arquivos, registros e informações. Elas auxiliam no trabalho pesado e fazem você economizar tempo e dinheiro ao agilizar e automatizar processos.

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH